COTIDIANO/ PRÁ MIM CHEGA, SENHOR PARLAMENTAR! | TR Revista

COTIDIANO/ PRÁ MIM CHEGA, SENHOR PARLAMENTAR!



Haydeé Silva*

Senhor parlamentar,

Faz alguns dias que meu cérebro fervilha de coisas que gostaria de lhe dizer. Nem todas são publicáveis, não  seriam adequadas ao linguajar de gente educada e afinal de contas você é uma “autoridade” (ainda é?), tem que ser respeitado.

Mas o fato é que estou engasgada, estou com você por aqui (acima da cabeça) e dizer que estou chateada é pouco. Estou decepcionada, furiosa, com a cara no chão, como diria minha saudosa mãe.

Sempre me dizem  que  político não é santo,   que a gente vota numa pessoa depois ela se transforma em outra, que a política é uma “panela”... Mas eu, na minha eterna boa fé, sempre votava em você e acompanhava com entusiasmo a sua ascensão. “É gente nossa, ele nos representa...” Hoje,  francamente, lamento as vezes em que defendi você, quando meus amigos o criticavam; lamento ter me exposto publicamente através das redes sociais, quando classifiquei como injustiça a reação que muita gente teve quando de sua condenação. Continuo achando que a mesma foi pesada demais, que os juízes “pesaram a mão”, afinal não houve roubo, apenas uns “atalhos” para tornar viáveis obras visando uma reeleição. As obras foram realizadas, beneficiaram a população, você está pagando pelo “atalho” que criou, mas ladrão, como o povo diz que você é, não, isso não!

Você não roubou, acredito eu, reconheço que beneficiou minha (nossa) cidade com muito dinheiro conseguido através de emendas, vou lhe agradecer sempre por lutado pelo ensino superior, luta vitoriosa, fui beneficiada, muito obrigada, mas, meu caro parlamentar...Voto mais em você, não! Não vou cair de novo na armadilha criada pela minha eterna mania de acreditar em   tudo e em todos. Como dizem por aí, já deu. Você pôs a perder, para mim, tudo que de bom possa ter feito (e fez) desde a primeira vez em que foi eleito. Pra mim, chega! Não voto mais em você nem para síndico de prédio, e também não voto em ninguém que você indicar. Minha saudosa mãe me ensinou, desde pequenina, que a gente tem que ganhar o pão com o suor do rosto, prá receber salário a gente tem que trabalhar, e você, meu caro parlamentar, livrou um monte de gente desta obrigação. Você tinha mais de duas dezenas de assessores que, acredito eu, não deviam  nem caber no seu gabinete. Mais de duas dezenas de assessores, meu caro parlamentar! Para que?  Para bater perna pelas calçadas da minha (nossa) cidade e no começo do mês passar no banco para ver que havia, por baixo, 3 mil e 553 reais na conta, por um “trabalho” que não fizeram? Sei que todo político eleito tem direito a ter “assessores”, até vereador tem,  afinal são muitos compromissos, agenda sempre lotada, entrevistas, pedidos de toda sorte de gente, reuniões com as “bases”, é preciso uma equipe para dar conta de tudo isso, mas mais de duas dezenas de secretários...Pegou pesado, caro parlamentar! É claro que todos eles devem ter feito por merecer, trabalhando na campanha, convencendo gente como eu a votar em você...Mas  para que tantos  assessores, a maioria não devendo nem saber onde fica o  seu gabinete  lá aquele templo acarpetado onde nossos destinos são resolvidos? Gente demais, meu caro parlamentar, recebendo salário para não fazer nada. E isso foi o que a mídia  divulgou  agora. Nesse tempo todo de vida pública, quanta gente você não ajudou a receber salário sem trabalhar? Vai dar não, caro parlamentar, minha cara tá no chão e meu título de eleitor nem sei por onde anda, só sei que nunca mais vou usá-lo para votar em você.  Daqui a algum tempo você estará apto a se candidatar novamente,  mas pra mim chega. Voto em você mais não.  

 

        *Jornalista