EZILMA TEIXEIRA RELEMBRA/TRÊS RIOS E SEU PADROEIRO SÃO SEBASTIÃO | TR Revista

EZILMA TEIXEIRA RELEMBRA/TRÊS RIOS E SEU PADROEIRO SÃO SEBASTIÃO



Segunda parte

Um terceiro templo

Um interessante momento histórico é o que diz respeito que já no início do século XX, a primeira capela particular de 1872 já se encontrava em ruínas e a então fazendeira Alcina Sá de Almeida ( esposa do 1º Urbano Carlos de Almeida ), continuando a devoção pelas suas terras, mandou levantar na parte baixa da propriedade uma pequenina capela também em louvor a São Sebastião. Do saudoso dr. Lédio Carlos de Almeida, neto da fazendeira, colhi precioso relato sobre essa capela, que desapareceu quando as terras da antiga fazenda passaram à administração de uma imobiliária negociante de lotes da propriedade.

O quarto templo – a Igreja Matriz de São Sebastião

O quarto templo dedicado é a Igreja Matriz de São Sebastião, com obras iniciadas em 1931 e somente concluídas em 1942, quando recebeu a sua sagração. Erguida totalmente com recursos do povo, foram dois os vigários responsáveis oficiais pela sua construção: o padre Antônio Rossi, que lhe fixou as fundações e levantou colunas e, a partir de 1934, o emblemático padre José Custódio Pereira Barroso até o seu final. Após anos de dedicação da comunidade entrerriense / trirriense, finalmente a igreja matriz foi sagrada no dia 25 de maio de 1942. Seu prédio,  embora tombado pelo patrimônio histórico municipal por solicitação do Conselho Municipal de Cultura em 1997, teve sua nave principal restaurada em 2010, todavia, apresenta, interna e externamente, algumas descaracterizações - também como em seu entorno - o que, compulsoriamente, deve fazer nascer em todos nós uma enérgica ação coletiva para a defesa da sua integridade física e histórica.

São Sebastião e o bairro Vila Isabel

Outro importante momento histórico é o de 1883: foi a inauguração, pela Casa de Caridade de Paraíba do Sul, da Colônia Agrícola Nossa Senhora da Piedade, hoje terras do progressista bairro de Vila Isabel. A celebração desse local de assentamento dos escravos libertos, por testamento da Condessa do Rio Novo , ocorreu a 20 de janeiro de 1883, dia do santo padroeiro e também de antiga e singela devoção dos muitos escravos alforriados moradores do local.

A República brasileira e São Sebastião

Com a Proclamação da República separando o Estado e a Igreja, essa, ainda durante muito tempo, teve pesada influência na vida institucional brasileira. A configuração jurídica de Três Rios é um bom exemplo: o povoado de Entre-Rios foi elevado a 2º distrito de Paz de Paraíba do Sul, conforme o decreto 114, de 13 de agosto de 1890 sob o mesmo nome do antigo povoado. “distrito de Paz de Entre-Rios”. Um ano depois,a 21 de agosto de 1891, aconteceu uma reformulação territorial sul-paraibana e Entre-Rios viu modificado o seu ordenamento territorial para o de 3º distrito e mais a nova toponímia de São Sebastião de Entre-Rios, ficando então na posição de 2º distrito a sua fração territorial de Espírito Santo do Jatobá, numa inequívoca prova da influência ainda exercida pela igreja católica nas toponímias brasileiras. Numa nova reformulação territorial de Paraíba do Sul, em 1910, Entre-Rios retornou ao ordenamento de 2º distrito em obediência à lei 917, de 10 de novembro do citado ano e por registros cartoriais sabemos que até 13 de janeiro de 1918 uma duplicidade de nomes ainda era assentados em documentos locais e de referências: ou simplesmente Entre-Rios ou em paralelo com aquele fixado em 1891, São Sebastião de Entre-Rios, toponímia antecedida do rogo e proteção do nosso padroeiro.

São Sebastião - padroeiro total

Oportuno lembrar que o santo guerreiro é nosso padroeiro total. Não é apenas padroeiro da CIDADE de Três Rios. É também padroeiro de todo o MUNICÍPIO - o município de Três Rios - acrescentando-se seu padroado também ao distrito de Bemposta. Independente do 2º distrito ter também a antiquissima devoção a Nossa Senhora da Conceição. E por derradeiro: padroado também é cultura

Fotos : 1. Procissão de São Sebastião e a sua Folia 2 . Capela de São Sebastião de Entre-Rios ( 1891 - 1936 ) 3. Igreja Matriz de São Sebastião - dias atuais