NOTA DE ALERTA AOS CATÓLICOS DE TRÊS RIOS E REGIÃO | TR Revista

NOTA DE ALERTA AOS CATÓLICOS DE TRÊS RIOS E REGIÃO



 

O Bispo Diocesano de Valença, Dom Nelson Francelino Ferreira, publicou esta semana, através das redes sociais, uma nota oficial, fazendo esclarecimentos sobre a Igreja Católica Apostólica Carismática, que está se instalando em Três Rios. Segundo Dom Nelson, “trata-se de mais uma nova doutrina oportunista, que pretende investir na ingenuidade dos católicos tradicionais dessa querida cidade. “Eu não faria esse alerta aos homens de boa vontade sobre essa iniciativa, se não percebesse que há uma má fé: denominar-se Igreja Católica Apostólica Carismática sem a devida diferenciação entre as igrejas, podendo alguns católicos, vir a se deixar levar pelo nome ‘parecido’.”, afirmou o bispo, citando as diferenças existentes entre a IAC – Igreja Católica Apostólica Carismática, e a Igreja Católica Apostólica Romana:

A ICAC (Sigla da Igreja Católica Apostólica Carismática) tem como preceitos:

1 – Não possui os sete sacramentos da Igreja Católica Apostólica Romana. Para eles o Matrimônio pode ser recebido mais de uma vez e a confissão não é sacramento. Por isso os fiéis deste movimento, segundo eles, não precisam confessar seus pecados aos padres. Segundo o site de um dos pseudo-padres da Igreja: “A missão de um padre é pregar o Evangelho, aconselhar e rezar pelo povo e não ficar ouvindo pecados.” Isso difere da Doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana, que ensina o que o próprio Cristo ordenou: “Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos. (São João 20,23)”

2 – Não existe a lei do celibato. Para eles, o bispo, padre ou diácono pode ser casado ou solteiro, ele decide qual o estado civil.

3 – Segundo eles não existe purgatório e, portanto,  os mortos não precisam de oração. Isso contraria a fé católica da Comunhão dos Santos.

4 – Para eles, o Papa não é tido como o Chefe (Visível) supremo da Igreja. Para eles o Papa é um primus inter pares – primeiro entre os iguais, é apenas o bispo de Roma e tem um “peso” igual ao “bispo” deles.

5 – Segundo a ICAC o aborto é repreensível, embora admitido quando a gestante possa ter sua vida posta gravemente em risco. Ou seja, para eles o pecado do aborto pode não ser pecado. A Igreja Católica Apostólica Romana é contra todo tipo de morte, incluindo o aborto.

6 – Métodos anticoncepcionais para a ICAC são permitidos. É uma decisão do casal acabar com a possibilidade de fecundação ou não. Para eles isso não é pecado. Não há qualquer pronunciamento da seita a respeito. Eles não têm um posicionamento definido. Ou seja, quem cala consente.

7- A Igreja Católica Apostólica Romana não realiza, a não ser em casos especiais, batizados, casamentos e crismas fora das igrejas e espaços normalmente destinados ao culto e às celebrações sagradas, como, por exemplo, chácaras, buffets e outros locais. Já a ICAB realiza casamento em qualquer lugar, desde que pague; porém o seu sacramento não é válido para a Fé Católica Apostólica Romana.

Embora ela tenha o nome de “carismática”, ela não tem nenhum vínculo com a RCC (Renovação Carismática Católica), que é um movimento que está dentro da Igreja Católica Apostólica Romana, muito bem conhecido nessa nossa querida cidade de Três Rios e lhe é obediente. O nome é também para confundir os fiéis mais desatentos.
Esta não é a primeira e nem a última vez que termos parecidos com os da Igreja Católica aparecem causando confusão entre os católicos. Dentro das comunidades protestantes já é normal vermos seus líderes se autodenominando “bispos”, “bispas” e “apóstolos”,  alguns deles chegando a usar o “clerygman” (camisa de padres) em suas aparições televisivas.
Estamos em um tempo onde a cada dia surgem novas seitas ou movimentos religiosos livres querendo afastar o povo de Deus do verdadeiro caminho.

PORTANTO: 
A Igreja Diocesana de Valença, na pessoa do seu Bispo Diocesano, atesta que a Igreja Católica apostólica Carismática não é reconhecida como Igreja Católica Apostólica Romana e não tem nenhuma ligação com o movimento da Renovação Carismática Católica - RCC. Trata-se de mais uma organização dita religiosa que recorre a essa terminologia para confundir e atrair os católicos mais distraídos.

Dom Nelson Francelino Ferreira
Bispo da Diocese de Valença”