SAÚDE/MENINGITE: SINTOMAS, CONTÁGIO E PREVENÇÃO | TR Revista

SAÚDE/MENINGITE: SINTOMAS, CONTÁGIO E PREVENÇÃO



 

meningite é a inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro. A doença pode ser causada por vários tipos de micróbios, entre eles o meningococo, principal agente durante as epidemias. Trata-se de uma doença grave, que envolve o sistema nervoso central e pode levar à morte. Os principais sintomas são:

* Febre alta

* Dor de cabeça intensa

* Náuseas

* Vômitos

* Rigidez de nuca e, algumas vezes, manchas na pele (tipo picada de mosquito).

Em crianças pequenas, há também o abaulamento de fontanela (moleira inchada). Apesar de grave, a meningite bacteriana tem cura, desde que diagnosticada rapidamente e tratada com antibiótico apropriado.

Transmissão

O micróbio pode ser transmitido da garganta de uma pessoa a outra, através de gotículas da tosse, espirro e beijo. A meningite nem sempre é transmitida por indivíduos doentes. Algumas pessoas (geralmente adultas) que abrigam o meningococo na garganta podem retransmiti-lo, mesmo sem estarem doentes: são os chamados portadores sãos. A meningite atinge pessoas de todas as idades, sendo as crianças menores de cinco anos normalmente as mais afetadas.

Prevenção

Diversas medidas de controle são essenciais para prevenir epidemias de meningite. As principais são: o diagnóstico precoce com a internação de pacientes com sintomas da doença; a vacinação das pessoas em contato muito próximo com enfermos (especialmente dentro do mesmo domicílio); e a vacinação das pessoas com maior risco de adquirir a doença, como as submetidas à retirada cirúrgica do baço (esplenectomizados), as portadoras de disfunção do baço (asplenia funcional da anemia falciforme, da talassemia) ou aquelas com deficiências de imunoglobulinas e do complemento.

Sequelas

A meningite pode causar sequelas que atingem tanto a capacidade física quanto intelectual e psicológica dos pacientes, sendo comum surgir falta de equilíbrio, perdas de memória e problemas de visão.

Em geral, a meningite bacteriana provoca sequelas com mais frequência e gravidade que a meningite viral, mas as duas formas da doença podem trazer complicações e afetar a qualidade de vida das pessoas, especialmente em crianças.

As sequelas mais comuns causadas por esta doença são:

  • Perda de audição e visão parcial ou total
  • Epilepsia
  • Problemas de memória e concentração
  • Dificuldade de aprendizagem, tanto em crianças quanto em adultos
  • Atraso no desenvolvimento motor, com dificuldades para andar e se equilibrar
  • Paralisia de um lado do corpo ou dos dois
  • Amputação de membros, quando necessário para deter a disseminação da doença para o resto do corpo
  • Artrite e problemas nos ossos
  • Problemas nos rins
  • Dificuldade para dormir
  • Incontinência urinária.

Os pacientes que se curam da meningite podem não ter sequelas, ter apenas sequelas leves ou problemas graves, podendo necessitar de cuidados especiais pelo resto da vida.

Vacinação

A vacina meningocócica tipo C  protege contra as meningites e doença meningocócica invasiva ocasionadas  pelo meningococo tipo C.Deve ser aplicada aos 3 e 5 meses de idade com reforço após 1 ano.Está disponível na rede pública onde o PNI estendeu a aplicação para crianças de até 4 anos de idade.

(Fontes: /www.bio.fiocruz.br/index.php/meningite-a-c-sintomas-transmissao-prevencao

https://www.tuasaude.com/sequelas-da-meningite/

imunizarvacinas.com.br/vacina/meningite-meningococica-c-men-c/) - Foto ilustrativa