SAÚDE/ O QUE É SÍNDROME DO PÂNICO? | TR Revista

SAÚDE/ O QUE É SÍNDROME DO PÂNICO?




Cresce a cada dia o número de pessoas atingidas pela síndrome do pânico. Mas o que provoca este transtorno, que leva o indivíduo a um estado permanente de tensão, como se estivesse sempre ameaçado por algum acontecimento ruim?

Segundo os especialistas, trata-se de um transtorno de ansiedade, caracterizado por crises inesperadas de medo intenso,  sem nenhum motivo aparente. O indivíduo  sente-se permanentemente em perigo, o que leva à modificação da rotina diária e ao afastamento das atividades sociais.

Causas

As causas exatas da síndrome do pânico são desconhecidas, mas estudiosos do assunto acreditam que um conjunto de fatores possa desencadear o desenvolvimento deste transtorno, destacando-se:

  • Genética
  • Temperamento forte e sujeito  ao estresse
  • Mudanças na forma como o cérebro funciona e reage a determinadas situações.

Alguns especialistas citam a  resposta natural do corpo a situações de perigo  como responsável pelas   crises de pânico, apesar da ausência de  situações nas quais onde haja qualquer sinal de perigo imediato.

Fatores de risco

As crises de síndrome do pânico geralmente começam entre a fase final da adolescência e o início da idade adulta. Podem também  ocorrer depois dos 30 anos e durante a infância, sendo que neste caso o diagnóstico é  mais frequente quando a criança já atingiu uma certa idade. O transtorno é mais frequente entre as mulheres, podendo ocorrer ante a exposição a alguns fatores de risco, destacando-se:

  • Situações de estresse extremo
  • Morte ou adoecimento de uma pessoa próxima
  • Mudanças de vida radicais
  • Histórico de abuso sexual durante a infância
  • Experiências traumáticas, como  um acidente

Sintomas de Síndrome do Pânico

Ataques de pânico característicos do transtorno  geralmente acontecem repentinamente,  em qualquer período do dia e também em qualquer situação, como  por exemplo durante compras no supermercado, numa reunião de trabalho e até mesmo ao volante. Há casos também em que a crise ocorre durante o sono, o indivíduo acorda sobressaltado, confuso e pode achar que se trata de um pesadelo.

O pico das crises de pânico geralmente dura cerca de 10 a 20 minutos, podendo variar dependendo da intensidade. Alguns sintomas podem continuar por uma hora ou mais. Há relatos de confusão entre  os ataques de pânico e  ataques cardíacos.

As crises de pânico geralmente apresentam os  os seguintes sintomas:

  • Sensação de perigo iminente
  • Medo de perder o controle
  • Medo da morte ou de uma tragédia iminente
  • Sentimentos de indiferença
  • Sensação de estar fora da realidade
  • Dormência e formigamento nas mãos, nos pés ou no rosto
  • Palpitações, ritmo cardíaco acelerado e taquicardia 
  • Sudorese intensa
  • Tremores
  • Dificuldade para respirar, falta de  ar e sufocamento
  • Calafrios
  • Ondas de calor
  • Náusea
  • Dores abdominais
  • Dores no peito e desconforto
  • Dor de cabeça
  • Tontura
  • Perda da consciência (desmaio)
  • Sensação de estar com a garganta fechando
  • Dificuldade para engolir
  • Medo de ter novos ataques, levando o indivíduo a evitar ao máximo as situações em que as crises possam se repetir.  

Os ataques de pânico frequentemente  alteram o comportamento em casa, na escola ou no trabalho. Os indivíduos  portadores da síndrome muitas vezes se preocupam com os efeitos de seus ataques  e podem, até mesmo, passar a apresentar  problemas mais graves, como alcoolismo, depressão e uso de drogas.

Pânico e Ansiedade: qual a diferença?

A síndrome do pânico é um tipo específico de transtorno dentro dos quadros ansiosos. Costuma ocorrer em crises, isto é, vêm "do nada" e de forma muito intensa. A  ansiedade é um estado mais constante,  menos sujeito a variações, altos e baixos e crises, que a síndrome do pânico. Um quadro ansioso pode evoluir para um quadro de pânico e vice-versa, trata-se de transtornos graves,  que trazem muito sofrimento para quem os porta. Um tratamento psicoterápico (em alguns casos aliado ao tratamento psiquiátrico e o uso de psicofármacos) é altamente indicado.

OBS; para esclarecimentos sobre a        SÍNDROME DO PÂNICO ou qualquer outro assunto relacionado à área médica, procure um profissional.

Fontes: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/sindrome-do-panico

www.minhavida.com.br/bem-estar/perguntas/4276-qual-a-diferenca-entre-sindrome-de-panico-e-ansiedade