SUL PARAIBANO IMPEDIDO DE FAZER A REDAÇÃO DO ENEM | TR Revista

SUL PARAIBANO IMPEDIDO DE FAZER A REDAÇÃO DO ENEM



Continua repercutindo, nas redes sociais e órgãos de imprensa de toda a região, o caso ocorrido no último domingo (5) com o estudante Ualace Honorato, de Paraíba do Sul. Portador de paralisia cerebral do tipo atetoide, ele passou os últimos meses se preparando para  o Enem - Exame Nacional do Ensino  Médio, mas não pode fazer a redação porque não dispunha de um computador.

Ualace, que pretende cursar educação física e criar programas esportivos inclusivos  para portadores de deficiência, se inscreveu no Enem pela quarta vez. Nos anos anteriores não conseguiu o número de pontos necessários mas,  segundo Munique Fernandes Gomes, tutora de história do cursinho social frequentado por Ualace, este ano ele estava bastante animado. Com a ajuda da mãe, o estudante, de 24 anos,  frequentou, desde o início do ano, o cursinho preparatório gratuito, com aulas aos sábados, de 8 da manhã às 6 da tarde. Lucinalva Nunes Araújo, a mãe do rapaz, informou que ano passado ele conseguiu fazer a prova de redação porque a organização da prova disponibilizou um notebook lacrado, usado por ele  para digitar a redação, que foi transcrita para o cartão resposta pelo auxiliar. Esse ano, ao chegar ao local da prova, o Núcleo Municipal de Ensino Manuel Vaz, na Vila Salutaris, ela foi informada de que o computador não fora fornecido pela organização do Enem, apesar da necessidade do equipamento ter sido citada no ato da inscrição. A mãe de Ualace protocolou uma reclamação por escrito junto ao Ministério Público, mas  já foi informada de que não será possível a aplicação de uma prova exclusiva para o estudante. O tema da redação do Enem 2017 foi  sobre os “desafios para a formação educacional de surdos no Brasil". (Fonte: G1)