TRIRRIENSES PELO MUNDO/ DE DUBLIN PARA TRÊS RIOS, 5 ANOS DEPOIS | TR Revista

TRIRRIENSES PELO MUNDO/ DE DUBLIN PARA TRÊS RIOS, 5 ANOS DEPOIS



 

 

Cinco anos longe da família e dos amigos.  Este é o período em que o estudante Rafael Barros de Souza, filho de Vania Lourdes Barros de Souza e Genelson Gomes de Souza, está residindo em Dublin, capital da Irlanda, onde estuda e trabalha. Nascido em São Luiz, capital do Maranhão, Rafael veio para Três Rios, em companhia dos pais e do irmão mais velho, Genelson Júnior, aos dois anos de idade, e foi aluno do Colégio Santo Antônio até o terceiro ano do ensino médio.  Há alguns meses, ele esteve em Três Rios visitando a família, e conversou com a reportagem do TR Revista sobre as experiências vividas fora do Brasil.   

TR – DEPOIS DO COLÉGIO SANTO ANTONIO, ONDE VOCÊ ESTUDOU?

RAFAEL – Cursei Administração de Empresas na Faculdade Rural, em Três Rios, durante 6 períodos, e terminei o curso na Unime, em Salvador.

TR – O QUE O LEVOU A ESCOLHER A IRLANDA PARA MORAR?

RAFAEL – Minha ideia inicial era fazer um intercâmbio dm um país de língua inglesa e, financeiramente, a Irlanda foi a opção mais viável.

TR – COMO CONSEGUIU VIAJAR? INTERCÂMBIO OU BOLSA DE ESTUDOS?

RAFAEL –  Utilizei parte do Fundo de Garantia de um antigo emprego para custear o intercâmbio.

TR – QUAL O CURSO QUE ESTÁ FAZENDO, E QUAL A DURAÇÃO DO MESMO?

RAFAEL – Estou cursando Information Technology no CCT – College of Computing Technology, com duração de 4 anos.

TR – TEVE ALGUMA DIFICULDADE PARA SE ADAPTAR?  O QUE ACHOU MAIS DIFÍCIL, A COMIDA, A LINGUA, O CLIMA?

RAFAEL – Não tive dificuldade para me adaptar. O que me incomodou um pouco no inicio foram as baixas temperaturas e a falta de sol, pois geralmente o céu está nublado. Mas com o tempo me acostumei.

TR – PRETENDE ALGUM DIA VOLTAR A MORAR NO BRASIL?

RAFAEL – Meu  plano é terminar a faculdade e começar a trabalhar na área de TI  em Dublin. Por enquanto, não penso em voltar a morar no Brasil.

TR – NA IRLANDA, ALÉM DE ESTUDAR, QUAIS SUAS OUTRAS ATIVIDADES?

RAFAEL – Trabalho meio expediente como barista.

TR – VOCÊ IDENTIFICA SEMELHANÇAS ENTRE O BRASIL E A IRLANDA?

RAFAEL – Acredito que os irlandeses sejam alegres como nós, porém de um jeito mais discreto. Sua cultura e comportamento são bem diferentes dos nossos.

TR – DO QUE MAIS GOSTA EM DUBLIN?

RAFAEL – Da multiculturalidade e educação, de forma geral.

TR – JÁ CONHECEU OUTROS PAÍSES DA EUROPA?

RAFAEL – Por enquanto, somente a Itália (Milão) e Irlanda do Norte (Belfast).

TR – QUAL O SEU HOBBY, QUANDO NÃO ESTÁ ESTUDANDO OU TRABALHANDO?

RAFAEL – Frequentar pubs, acampar e passear pelos parques da cidade, com amigos. Gosto também de desenvolver pequenos softwares.

TR – HÁ QUANTO TEMPO NÃO VINHA A TRÊS RIOS? O QUE ACHOU DIFERENTE, O QUE MELHOROU OU PIOROU NA CIDADE?

RAFAEL – Não   vinha à Três Rios há cinco anos. O que pude notar foi o aumento do número de edifícios em construção e a chegada da faculdade de medicina. Basicamente, fiquei apenas no centro da cidade, não tive oportunidade de ver outros locais, o que não me deixa em posição de comentar sobre melhorias.

TR – DO QUE MAIS GOSTOU DURANTE SUA ESTADIA EM TRÊS RIOS?

RAFAEL – Retornei a Três Rios para rever minha família e amigos, então esta foi a parte de que mais gostei. Missão cumprida.  

TR – E  COMO OS IRLANDESES RECEBEM OS BRASILEIROS? É UM POVO ACOLHEDOR OU FRIO?

RAFAEL – Eles nos recebem muito bem. São bastante educados.

TR – E QUAL A OPINIÃO DELES SOBRE O BRASIL?

RAFAEL – Tirando os irlandeses que têm convivência com brasileiros, em sua maioria eles não sabem muita coisa sobre o Brasil, somente o clássico jargão “país do futebol, sol, carnaval e mulheres bonitas’. Não posso culpá-los, pois também não sabia absolutamente nada sobre a Irlanda antes de ir para lá.