EZILMA TEIXEIRA RELEMBRA/CENA FEIA NA POBRE PRAÇA SEBASTIANA | TR Revista

EZILMA TEIXEIRA RELEMBRA/CENA FEIA NA POBRE PRAÇA SEBASTIANA



CENAS MUITO FEIAS NA MANHÃ DE HOJE ( 31/10) ,NA TÃO AGREDIDA PRAÇA SEBASTIANA


O obelisco, em frente à nossa tão querida Igreja Matriz de São Sebastião, é o principal monumento do nosso patrimônio histórico - aos seus pés existe uma placa indicativa ali colocada em 1985, pelo então Conselho Municipal de Cultura.
O obelisco, tal a nossa igreja matriz, recebeu tombamento municipal em 1997, portanto, merecem  os dois proteção oficial no trato, na ambiência, na paisagem...Muito embora a especulação imobiliária muito tenha agredido a legislação pertinente sobre a panorâmica dos referidos bens tombados à volúpia financeira da construção de altíssimos prédios.
Não é de hoje que,  em minha luta quase solitária,  venho clamando pela necessidade civilizada da defesa do nosso patrimônio histórico, para o aplauso de maiores e execração e deboche de pequenos.
O obelisco, protagonista das minhas letras de hoje, é um bem histórico vítima de ataques constantes.
Iniciado o atual governo municipal,  voltei a chamar a atenção das autoridades executivas e legislativas para a requintada importância do monumento para o povo trirriense.
Alvo constante de cargas e descargas ao seu redor, parece que consegui sensibilização, visto que foram colocadas no local sinalizações contra essas movimentações. Fiquei toda prosa!
Mas qual! Continuam impunes essas paradas incivilizadas.
São veículos grandes e pequenos, principalmente à vontade da poderosa Coca-Cola, que entre outras faz a farra na pobre praça sebastiana.
A lamentável cena de hoje tem fotos enviadas por leitor indignado com o abandono da ordem urbana no centro da cidade.
E agravado por veículo marginal à lei, da frota da municipalidade.
Até tu, ó prefeitura de Três Rios!
Pedidos ao universo oficial para socorro ao contribuinte eleitor trirriense: Prefeito, Secretarias afetas: Transportes, Ordem Pública, Cultura, Educação...
Às barbas do Paço Municipal e da fiscalização caolha!
A persistir, cabe-nos um anarquista brado retumbante :
QUERO MEU IMPOSTO DE VOLTA !!!