EZILMA TEIXEIRA RELEMBRA/ELEIÇÕES MUNICIPAIS TR - 1972 | TR Revista

EZILMA TEIXEIRA RELEMBRA/ELEIÇÕES MUNICIPAIS TR - 1972



“ A FORÇA DO POVO "

1ª parte

Iniciando preparativos para as eleições de 15 de novembro de 1972, uma grande efervescência política tomava conta de Três Rios na disputa do governo municipal e das cadeiras da Câmara de Vereadores. Os arenistas traçavam estratégias para a continuidade da hegemonia política conquistada sabendo da luta árdua que os esperava, principalmente pelos resultados do governo Damasceno,  que se mostravam desfavoráveis a uma vitória fácil e disso muito bem se aproveitavam os emedebistas fazendo rasgada propaganda do bom governo realizado pelo prefeito Alberto Lavinas.
Para a escolha dos seus candidatos a prefeito a ARENA realizou a sua convenção no dia 25 de setembro, no Clube Social de Vila Isabel.
Como primeiro quadro concorrente, candidatos a prefeito e vice, foram buscados na Câmara de Vereadores os nomes de Joel Maia e José Francisco Sobrinho. Os dois já haviam dado sobejas provas de bons de voto em suas bases eleitorais, em Comendador Levy Gasparian e Areal respectivamente. Imaginavam fechar um cerco rumo ao 1º distrito.
Joaquim José Ferreira batia chapa com Ademar José Machado. Novamente candidato a prefeito, Ferreira vinha amargando insucesso nas urnas e contava que seu vice - com bom nome na administração das obras do Colégio Cenecista Walter Francklin – também o ajudasse a reverter aquela situação.
Completando o trio concorrente vinha o professor Geraldo Monnerat. Seu candidato a vice era Geraldo Thurler Garcia,  com excelente nome na iniciativa privada pelo brilhante trabalho que vinha realizando na superintendência do Hospital de Clínicas N.Sra. da Conceição.Nessa convenção apenas as duas primeiras chapas foram homologadas, a terceira aguardou seu lançamento condicionado a um possível terceiro quadro emedebista. Para a vereança foram homologados os nomes de trinta concorrentes.
O MDB realizou a sua convenção no dia 27 de setembro, no mesmo Clube Social Unidos de Vila Isabel, sob a total orientação do então deputado federal Alberto Lavinas, acompanhado em atenções pelo então deputado estadual Márcio Macedo.
O primeiro candidato a ser lançado foi o engenheiro Samir Macedo Nasser, que em 70 fora o candidato a prefeito mais votado, todavia, derrotado pelos arenistas na soma total de legendas. A escolha do seu vice recaíra em Hélvio de Oliveira Tinoco, respeitado empresário e profissional da saúde. A segunda chapa era formada por José Michel Farah–Hélio José de Lima. A terceira chapa surgiu pouco depois representada por Armando de Almeida e o professor Delfino da Silva Monteiro, estreante na vida pública,  festejado professor de língua portuguesa em colégios do município.Também no MDB trinta candidatos tiveram seus nomes homologados para disputa rumo ao legislativo.
Com processo eleitoral comandado pelo juiz da 40ª Zona Eleitoral, Dr.Luiz de Carvalho Rangel, as eleições aconteceram no dia 15 de novembro de 1972 e nela votaram 21743 eleitores. A vitória da dupla Samir-Tinoco - com o forte slogan “ A força do povo" - delineou-se logo no início dos trabalhos de apuração. Já nas primeiras urnas os emedebistas vinham com maioria avassaladora, não dando margem a qualquer dúvida quanto ao resultado final.
Ao concluir-se a apuração dos votos do 1º distrito,  o partido da oposição já tinha uma frente de 4.800 votos.Essa vantagem se acentuaria ainda mais quando começaram a ser abertas as urnas dos distritos.Em todas elas a dupla ampliava a diferença, vencendo em Afonso Arinos, Bemposta e Areal, sendo no último distrito por maioria esmagadora. A grande surpresa ficara com o 5º distrito, Comendador Levy Gasparian, onde foram apurados os últimos votos. Não obstante a eleição já estivesse decidida, esperava-se que a ARENA reduzisse a diferença que a separava do MDB, pois o local era, até então, considerado um forte reduto arenista. Aconteceu, todavia, o imprevisto: os votos foram um a um disputados por Samir Nasser e Joel Maia que, no final, venceria por margem inferior a 100 votos, resultado considerado surpreendente pela maioria dos observadores .
Encerrados os trabalhos de apuração os resultados vieram confirmar uma esmagadora vitória de Samir Nasser que, sozinho, obteve 9546 votos. Fez “barba, cabelo e bigode”, senhor todo poderoso de quase 50% dos votos válidos.
As outras chapas emedebistas apresentaram José Michel Farah com 2952 votos e Armando de Almeida com 528.O MDB recuperava triunfante a hegemonia eleitoral em Três Rios com um total de 13.026 votos.
A combalida e humilhada ARENA somou 7.132 votos distribuídos pelos seus candidatos. Joel Maia conseguiu 3444, Joaquim Ferreira 3037 e Geraldo Monnerat 651 votos. 

Foto: engenheiro Samir Macedo Nasser,   eleito Prefeito de Três Rios em 1972.