SAÚDE/PARECE DENGUE, MAS É CHIKUNGUNYA | TR Revista

SAÚDE/PARECE DENGUE, MAS É CHIKUNGUNYA



A febre chikungunya é uma doença parecida com a dengue, com sintomas bem parecidos:  febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia (desânimo) e cansaço. Porém, a grande diferença da febre  chikungunya está no acometimento das articulações: o vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

O  vírus  foi isolado pela primeira vez em 1950, na Tanzânia. A doença  recebeu esse nome pois chikungunya significa “aqueles que se dobram” no dialeto Makonde da Tanzânia, termo este usado para designar aqueles que sofriam com o mal. A doença, apesar de pouco letal, é muito limitante. O paciente tem dificuldade de movimentos e locomoção por causa das articulações inflamadas e doloridas, daí o “andar curvado”.

 

Causas

A febre chikugunya não é transmitida de pessoa para pessoa. O contágio se dá pelo mosquito Aedes aegypti que, após um período de sete dias contados depois de picar alguém contaminado, pode transportar o vírus CHIKV durante toda a sua vida, transmitindo a doença para uma população que não possui anticorpos contra ele. Por isso, é importante  estar atento para bloquear a transmissão tão logo apareçam os primeiros casos.

O ciclo de transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O Aedes aegypti procria com muita rapidez,  e o mosquito adulto vive em média 45 dias. Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de dois a 12 dias para a febre chikungunya se manifestar, sendo mais comum cinco a seis dias.

A transmissão da  chikungunya raramente ocorre em temperaturas abaixo de 16° C, sendo que a mais propícia gira em torno de 30° a 32° C - por isso ele se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais. A fêmea coloca os ovos em condições adequadas (lugar quente e úmido) e em 48 horas o embrião se desenvolve. É importante lembrar que os ovos que carregam o embrião do mosquito transmissor da febre podem suportar a seca  até um ano,  e serem transportados por longas distâncias, grudados nas bordas dos recipientes e esperando um ambiente úmido para se desenvolverem.  Para passar da fase do ovo até a fase adulta, o inseto demora em média dez dias.  Os mosquitos acasalam no primeiro ou no segundo dia após se tornarem adultos. Depois, as fêmeas passam a se alimentar de sangue, que possui as proteínas necessárias para o desenvolvimento dos ovos.

O mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor marrom ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar, transmitindo a febre chikungunya, nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte. No entanto, mesmo nas horas quentes ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Há suspeitas de que alguns ataquem durante a noite. O indivíduo não percebe a picada, pois não dói e nem coça no momento. Por ser um mosquito que voa baixo - até dois metros - é comum as picadas ocorrerem  nos joelhos, panturrilhas e pés.

Sintomas de Chikungunya

O período de incubação varia de dois a 12 dias. Muitas pessoas infectadas  não apresentam sintomas. O quadro clínico é muito semelhante ao da dengue, e os sintomas de febre chikungunya são:

  • Febre
  • Dor nas articulações
  • Dor nas costas
  • Dor de cabeça.

Outros sintomas incluem:

  • Erupções cutâneas
  • Fadiga
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Mialgias.

Os sintomas comuns de chikungunya são graves e muitas vezes deixam os doentes debilitados, sendo as mãos e pés mais afetados. No entanto, pernas e costas  frequentemente podem estar envolvidas.

Complicações

A mortalidade por febre chikungunya é muito pequena. Após os primeiros dez dias, a maioria dos pacientes sentirá uma melhora na saúde geral e na dor articular. Porém, após este período, uma recaída dos sinais pode ocorrer com alguns pacientes apresentando vários sintomas reumáticos. Isso pode acontece  entre dois e três meses após o início da doença. Alguns pacientes também podem desenvolver distúrbios vasculares periféricos, como a síndrome de Raynaud. Além dos sintomas físicos, a maioria dos pacientes reclama de sintomas depressivos, cansaço geral e fraqueza.

Estudos recentes  mostraram que 12%-18% dos pacientes terão sintomas persistentes de 18 meses a três anos.O sintoma persistente mais comum é a  dor nas articulações decorrente de inflamação, geralmente as mesmas articulações afetadas durante os estágios agudos. Outros sintomas, como cansaço e depressão, podem persistir após a fase aguda da doença.

Entre os fatores de risco para não recuperação estão idade avançada (mais de 65 anos), problemas de articulação pré-existentes e doenças agudas mais graves.(Fonte: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/chikungunya