Empreendedorismo: A Razão do Crescimento | TR Revista

Empreendedorismo: A Razão do Crescimento



J L VIana*

 

Talvez não se tenha, ainda, refletido sobre a importância para o mundo e, em consequência às nossas vidas, sobre a prática do Empreendedorismo.

Já na França, nos Séculos XVII e  XVIII, a palavra empreendedor (entrepreneur) se fazia conhecer, objetivava  distinguir  as pessoas determinadas  e estimuladoras do progresso da Economia, através da prática de novos e melhores métodos.

Podemos evidenciar como sendo os precursores  o francês Jean-Baptiste Say,  o austríaco Joseph Schumpeter e mais tarde Peter Ferdinand Drucker,  considerado    “o pai da administração moderna”.

Tentarei em poucas palavras,  levá-los a uma reflexão sobre o assunto.

Como racionais que somos, a nossa sobrevivência depende de nossos comportamentos, de nossas atitudes e, sem quaisquer dúvidas voltadas para o Bem.  Esse Bem é a virtude , ou seja, tudo aquilo com que podemos contribuir, de maneira positiva , para o nosso crescimento, o do nosso país e sobretudo o da humanidade.

E é isso que desejo evidenciar. As virtudes são o nexo propulsor para que aconteça o Empreendedorismo . Para que sejamos empreendedores,  devemos reunir todas as qualidades do Bem e voltadas para o Bem, isto é, através da nossa Central de Inteligência, denominada área cognitiva e, que ela se faça por merecer.

 Talvez se fizesse desnecessário enumerá-las,  pois as principais qualidades e/ou virtudes são do domínio público. Contudo pela perseverança, que também é uma qualidade do empreendedor, vamos  evidenciar algumas das mais significativas :

-Determinação

-Iniciativa

-Criatividade

-Respeito pela Ética

-Comunicação e Expressão

-Visão

-Gostar da área que atua ou que irá atuar

-Coragem

-Liderança

-Perseverança

-Saber ouvir o outro

-Interesse pelo conhecimento

-Planejamento

-Organização

-Estar sempre atento ao princípio da oportunidade

-Saber trabalhar em equipe, entre outras  qualidades.

 Por outro lado,  é importante    salientar,  a necessidade de  se fazer massificar o entendimento  sobre  o significado moral de honestidade, pois que a prática do comportamento honesto não é uma virtude, e sim uma obrigação.

A visão do Empreendedor deve ser  tal qual a de uma águia, no caso quanto à visão futurista; a perseverança da água que esculpe a rocha e o calor flamejante que alimenta o futuro.

O Homem  sadio e de sã consciência nasce empreendedor, suas habilidades e competências é que poderão levá-lo ao sucesso ou não.

Todos os nossos atos são empreendedores, desde a simples aquisição  de um produto alimentício, a qual necessita de habilidade e competência, para que seja bem realizada.

Na oportunidade, não poderia deixar de mencionar o belo exemplo de Empreendedorismo que nos deu BILL GATES, dono, senão da maior, de uma das maiores fortunas pessoais do mundo, e da MICROSOFT,  a única empresa que enfrentou e venceu a Big Blue  ( IBM ).

Preocupado com a formação dos jovens dentro da modernização social, por ocasião de uma conferência realizada numa escola de ensino secundário, Bill Gates transmitiu aos alunos ensinamentos com 11 (onze) regras, para que fossem levadas em consideração nas suas vidas posteriores à escola, uma vez que na sala de aula nada disso lhes eram ensinado.   Senão  vejamos  :

1)      A vida não é fácil, acostume-se com isso.

2)      O mundo não está preocupado com a sua autoestima. O mundo espera que você  possa fazer alguma coisa útil por ele, ANTES de sentir-se bem com você mesmo.

3)      Você não ganhará R$ 20.000,00 por mês assim que sair da escola.  Você não será presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição,  antes que você  tenha conseguido comprar seu próprio carro e telefone.

4)      Se você acha seu professor rude, espere até ter um chefe, ele não terá pena de você.

5)      Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias  não está abaixo da sua posição social.  Seus avós têm uma palavra diferente para isso: eles chamam de oportunidade.;

6)      Se você fracassar,  não  é culpa de seus pais.  Então não lamente seus erros , aprenda com eles.

7)      Antes de você nascer, seus pais não eram tão críticos como agora.  Eles só ficaram assim por pagar as suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são “ridículos”.

Então, antes de salvar o planeta, para a próxima geração, querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente limpar seu próprio quarto.

Sua escola pode ter eliminado a distinção  entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim.  Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar até acertar.  Isto não se parece com absolutamente NADA na vida real.  Se pisar na bola, está despedido,  RUA  !!!

8)      Faça certo da primeira vez .

9)      A vida não é dividida em semestres.  Você não terá sempre os verões livres,  e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período;

10)  Televisão NÃO é a vida real. Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho,  a boate ou a farra para no dia seguinte ir trabalhar;

11)  Seja legal com os  CDFs ( aqueles estudantes que os demais julgam que são  “babacas”, por serem aplicados, disciplinados e estudiosos ),  porque  existe uma grande probabilidade de você  vir a trabalhar  PARA  um deles.

 

            Assim, Bill Gates nos mostra, com os seus simples  ensinamentos, o motivo que o faz ser respeitado em todo o planeta. A sua preocupação com a juventude – o calor flamejante que alimenta o futuro-  cujas virtudes  empreendedoras terão que estar voltadas para o crescimento da humanidade.

            Finalmente,  querendo  ratificar o “ comportamento empreendedor” de cada um de nós, que nos faz  vitoriosos, por vezes até sem perceber  a causa do efeito, eis que surge a necessidade da Reflexão:

            Por quê ?  Quando ?  Aonde  ?  Como ?

            Podemos considerar, que todas as conquistas positivas, são resultantes de um  “comportamento empreendedor”.

            Boa   sorte  !

* J L Viana  é advogado, psicólogo e jornalista